Associação de Moradores e Condomínios, qual a diferença?
20/09/2017
Portaria virtual divide opiniões em prédios de São Paulo
19/10/2017

Cinco “Cs”: como lidar com estes principais problemas no Condomínio?

Um dos atrativos de morar em Condomínio é a segurança que ele pode proporcionar para as pessoas. Mas junto com este atrativo, vem a divisão de espaços com outros moradores, com opiniões e modos de vida divergentes, deste modo a tranquilidade de morar em Condomínios pode ser quebrada por estes cinco problemas mais frequentes. E o que são os Cincos “Cs” no Condomínio?
                                                       Carro, Cachorro, Criança, Calote, Cano.
Este tipo de moradia pede bom senso e saber exercer a arte da convivência: Entender se o incomodo que o vizinho gera é realmente um problema ou o nível de tolerância que está baixo; procurar o vizinho para tentar resolver uma adversidade com uma conversa equilibrada; ter paciência, educação, delicadeza e gentileza é essencial. E é muito importante, também, ter claro em mente que o direito de um termina onde começa o do outro.
O Condomínio deve ter explicito no seu regimento interno as regras de para uma boa convivência entre os moradores.
Carro
Tem aquele morador que estaciona o carro fora da vaga, que tem o carro maior que a vaga, que estaciona carro e moto ou bicicleta na mesma vaga, que usa a garagem como deposito, aquele que buzina para abrir o portão, e até mesmo aquele que ultrapassa o limite de velocidade e coloca em risco a segurança de outros usuários da garagem.
O Condomínio deve ter regras claras para o uso da garagem e suas responsabilidades, assim como limite de velocidade, tamanho das vagas, o que pode e não pode para evitar dores de cabeça, prejuízos com avarias e riscos à segurança dos moradores.
Alguns problemas podem ser sanados com adaptação do espaço da garagem, quando possível, instalar guincho hidráulico, vallets, contratar manobrista, sorteio de vagas, redimensionar o tamanho das vagas.  
Cachorro
Estes seres peludos e quatro patas são tratados como entes queridos em algumas famílias. Geralmente as pessoas que amam os cachorros acham que todo mundo deve ama-los também, e quem não gosta, não tolera.
O barulho dos cachorros é que mais gera reclamação referente a este assunto em Condomínios. Seguido de utilização de áreas comuns, odor e segurança.
Não é interessante o Condomínio proibir a permanência destes animais, pois a justiça vem dando ganho de causa para os donos de animais que não atrapalha o sossego, a saúde e a segurança dos outros moradores. Do mesmo modo não pode determinar raça e porte do animal, e solicitar para que seus donos carreguem estes animais no colo.
O Condomínio deve ter normas definidas para que todos os donos de cães devem seguir para o uso das áreas comuns, elevadores, uso de guias e coleiras, locais de circulação e barulho excessivo.
Criança
As crianças parecem ter uma fonte de energia inesgotável. Muitas vezes nem precisam de brinquedos para se divertirem. Tudo e todo momento pode virar uma brincadeira. E a partir daí pode surgir problemas entre moradores, principalmente entre aqueles que não tem filhos.
Além do barulho decorrente de brincadeiras e choros, as crianças, geralmente quando sozinhas, podem ocasionar alguns danos ao Condomínio como pintar paredes, estragos em objetos de área comum, desrespeito a funcionários. Nestes casos os pais ou responsáveis devem ser chamados inicialmente e depois ser cobrado o prejuízo ou aplicação de multas
É importante manter a segurança dos pequenos. No Estatuto Interno deve exposto as condições de uso das áreas comuns, piscinas, academias, brinquedotecas, playgrounds e quadras, informando idade e a condição de acompanhamento do responsável. Devem mantê-las protegidas de áreas de risco como de acesso restrito, elevadores, escadas, máquinas e garagens. O Condomínio deve proporcionar a segurança para as crianças, mas a responsabilidade sobre elas é um dever dos pais ou responsáveis.
A instituição do Sindico Mirim é uma alternativa interessante onde este poderá levar as solicitações das crianças para a gestão e vigiar seus companheiros a seguir as regras.
Calote
O calote é um problema que atinge todos os moradores quando ele ocorre, afetando o caixa do Condomínio prejudicando a sua manutenção.
Quando o orçamento da família aperta, geralmente a taxa condominial é uma das primeiras contas a serem deixadas de lado, pois é normal a sua taxa de juros ser menor quando comprada com o do cheque especial ou cartão de crédito.
O Síndico deve acompanhar de perto esta situação, ter um processo adequado de cobrança das taxas em atraso, estar aberto a negociações e aplicar as medidas de cobrança cabíveis na legislação atual.
Cano
Canos ficam escondidos. Os problemas decorrentes deles, como infiltrações e vazamentos, muitas vezes são confusos, gerando uma grande dor de cabeça. Saber de onde ao certo vem e como proceder, pode contribuir para revolver o problema mais rápido e minimizar transtornos e gastos.
Deve ser identificado, com ajuda de um encanador ou engenheiro, a origem do problema, que pode ter duas fontes: a rede encanamento geral do condomínio, a vertical, onde neste caso é de sua responsabilidade a manutenção e conserto, ou em uma unidade especifica, horizontal, sendo neste caso o compromisso de sanar o problema é do morador.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *